10/05/17 | 14:18
Fiscalização intensa eleva o número de apreensão de veículos irregulares
Blitze são realizadas ocorrem com mais frequencia e mais fiscais

Blitze são realizadas ocorrem com mais frequencia e mais fiscais

Em pouco mais de quatro meses, a Prefeitura de Manaus apreendeu 856 veículos que realizavam serviços de transporte de forma irregular. O número apresentado pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) na manhã desta quarta-feira, 10/5, já é superior ao total de apreensões feitas em 2016, que foi de 831 veículos.

O superintendente da SMTU, Audo Albuquerque da Costa, atribuiu o aumento das apreensões à intensificação das operações de fiscalização. Desde o último dia 15 de abril, quando foi lançada a Operação `Transporte Legal´, as blitze ocorrem com mais frequência e contam com um efetivo maior de fiscais.

“Nossas equipes estão de manhã, de tarde e de noite nas ruas. Quando retiramos de circulação o veículo clandestino estamos beneficiando não apenas o operador regularizado, que busca aperfeiçoar os seus serviços e que faz investimentos, mas também a própria população que acaba correndo risco quando utiliza um condutor que nem sequer está habilitado”, afirmou.

As apreensões foram de 102 em janeiro; 65 em fevereiro; 332 em março; 274 em abril; e 83 nos primeiros nove dias de maio. Do total de 856 apreensões realizadas este ano, 366 condutores que realizavam o transporte ilegal não apresentaram à fiscalização da SMTU a sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). As operações têm abrangido veículos de transporte escolar, frete-carga, mototáxi, táxi, lotação, fretamento, alternativo, executivo e transporte urbano. O mototáxi foi o serviço com o maior número de apreensões, com 579 veículos, a maioria por transporte ilegal.

Dentre as infrações mais recorrentes está o transporte clandestino. A realização de serviços de transporte não autorizados pela SMTU tem como penalidades, estabelecidas em lei, a apreensão do veículo e a aplicação de multa que varia de 15 a 40 Unidades Fiscais do Município (UFM), o que corresponde a R$ 1.497,60 a R$ 3.993,00. Esses valores dobram caso haja reincidência.

“Como órgão gestor é nossa obrigação cumprir a lei, por isso vamos ampliar ainda mais as nossas fiscalizações. Tanto o prefeito Arthur Virgílio Neto quanto o prefeito em exercício, Marcos Rotta, tem batido exigido ações no sentido de moralizar o sistema e ordenar os modais. E estamos seguindo este caminho”, disse Audo Albuquerque.

Os resultados das operações realizadas nas últimas semanas foram bem recebidos pelos representantes de sindicatos e associações dos profissionais legalizados pela prefeitura.

Assessoria de Comunicação da SMTU