20/02/18 | 9:43
Programa de capacitação 2018 para cobradores e motoristas enfoca idosos e pessoas com deficiência

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) deu início inicia à programação de cursos de capacitação de motoristas e cobradores nos dias 19 e 20 deste mês, com o objetivo de melhorar o atendimento aos usuários do transporte coletivo, com especial atenção aos idosos e pessoas com deficiência (PCD’s).

Sob a coordenação da Superintendência, as próximas edições do curso acontecem nos dias 22 e 23 e ainda, nos dias 26 e 27 de fevereiro, sempre realizado em duas etapas: uma teórica e outra prática, em que os operadores do transporte vivenciam as dificuldades das pessoas com deficiências físicas. O treinamento conta com a parceria da Secretaria Estadual de Assistência Social (SEAS) e com os conselhos da Pessoa com Deficiência e dos Idosos.

O superintendente da SMTU,​ coronel Franclides Ribeiro, abriu as atividades, ressaltando a importância das vivências, para que motoristas e cobradores sintam na pele as dificuldades enfrentadas pelas pessoas, principalmente pessoas com deficiência e idosos, e a prestação de um excelente serviço de transporte público é uma determinação do prefeito de Manaus, Arthur Virgilio Neto​.

No ano passado, 700 operadores passaram pelo curso de sensibilização e receberam o certificado. Ainda em 2017, a SMTU intensificou um conjunto de ações desenvolvidas com objetivo de conscientizar usuários e operadores, trabalhando com três públicos: usuários do transporte coletivo, trabalhadores rodoviários e estudantes de escolas municipais.

As ações têm buscado sensibilizar as pessoas a adotarem comportamentos que promovam a cordialidade e o respeito no dia-a-dia do serviço público.

Qualidade de vida e trato com os idosos

Com a sala lotada de motorista e cobradores de todas as empresas de transportes urbanos de Manaus, as palestras do primeiro dia abordou o tema “Qualidade de Vida X Sedentarismo” e tratou sobre a importância das atividades físicas e da ginástica laboral para a prevenção de doenças crônicas, além dos riscos causados pelo sedentarismo, com a Técnica da SMTU, Maria Lúcia Miguez.

A segunda palestra do dia foi sobre “Direitos e Deveres dos Idosos”, com o especialista em gerontologia, Marcelo Augusto Ramos, assistente técnico de Programas e Projetos Especiais da Secretaria EstaduaL de Assistência Social (SEAS), que colocou de forma dinâmica e irreverente as situações que acontecem no dia a dia dos idosos e como tratá-las.

De acordo com o motorista Heraldo Soares, 48, da empresa Rondônia, essa oportunidade é única para recebermos novas informações sobre o sistema. ”Pela primeira vez participo do treinamento da SMTU e gostei muito dos dois dias. É uma troca importante de experiências que nos faz pensar a respeito de como podemos melhorar o tratamento com os usuários”.

Já para o jovem cobrador Lucas Victor, 21, da empresa Açaí, as palestras foram muito produtivas. “Eu já procuro realizar um bom tratamento às pessoas, principalmente aos idosos. E palestra como essa, servem para reforçar nosso trabalho no dia a dia’, declarou.

 

Vivências

No segundo dia de capacitação, os participantes assistiram à palestra “O direito da Pessoa com Deficiência e o atendimento no Transporte Coletivo”, ministrada pela voluntária e mãe de pessoa com deficiência, Maria do Perpétuo Socorro.

As histórias relatadas por Socorro, de pessoas com diversos tipos de deficiência, serviram para mostrar aos operadores do sistema que todos merecem tratamento digno, em especial aquele que teve sua plena condição interrompida por algum motivo. “As pessoas precisam de mais informação a respeito das pessoas com deficiências. Esse universo de pessoas têm o mesmo direito que qualquer outra pessoa”, afirmou.

Na sequência, participaram de uma dinâmica coordenada pelo setor de Educação da SMTU, para se colocarem na pele de uma pessoa com deficiência, dentro do transporte público. Cinco voluntários do curso representaram cadeirantes, cegos e pessoas com deficiência física, sendo auxiliados pelos colegas do curso, utilizando técnicas de como embarcar e desembarcar do veículo, fazendo um percurso dentro do coletivo disponibilizado pelo órgão.

“A experiência foi muito difícil. Senti o quanto é importante podermos receber a ajuda de alguém, pois só com a muleta não me senti seguro. O curso colabora para que tenhamos mais sensibilidade e mais atenção com essas pessoas”, relatou o motorista Mauriney Lima, 40, da Expresso Coroado.